Notícias

Alunos do 1º período do curso de Sistemas de Informação criam aplicativos voltados para a resolução de problemas sociais

 
06 de julho de 2018
 


Formar profissionais de excelência e que também sejam engajados em melhorar a qualidade de vida da população é um dos principais objetivos do Centro Universitário de Itajubá – FEPI, focados nisso, alunos do 1º período do curso de Sistemas de Informação desenvolveram aplicativos capazes de ajudar a população no dia a dia.

A atividade foi desenvolvida ao longo do 1º semestre e faz parte do Projeto Integrador, uma das atividades ligada à nova metodologia de ensino adotada pela FEPI. Conforme esclareceu o coordenador do Curso, Prof. André Luís Duarte, “proposta da disciplina de projeto integrador é associar o conhecimento desenvolvido em todas as disciplinas a fim de construir um produto no final do semestre”. Para isso, desenvolveram um aplicativo usando a plataforma Android que resolvesse um problema social. “Os alunos utilizaram conhecimentos relacionados à Algoritmos e Lógica para Computação, Organização e Arquitetura de Computadores, Probabilidade e Estatística, Administração e Fundamentos de Sistemas, além de conhecimentos específicos em desenvolvimento de aplicativos” explicou Prof. André Duarte.

O resultado do trabalho, apresentado no dia 15/05, foi a criação dos produtos, além da proposta de produzirem uma vasta documentação de controle e análise de desempenho dos produtos criados. Foram produzidos três aplicativos: "InfoBus", "Reciclar ", "Vacina em Dia". O aplicativo "InfoBus" teve como proposta disponibilizar horários de ônibus circular e intermunicipal na cidade de Itajubá. O aplicativo "Reciclar" foi criado para disponibilizar aos catadores de material reciclável uma plataforma de comunicação em que o cliente informa qual o tipo de material reciclável ele possui e o catador recebe a informação e o local para realizar a coleta. O aplicativo "Vacina em Dia" teve como objetivo informatizar o cartão de vacina das pessoas, além disso, ele também guarda informações sobre o tipo sanguíneo e dados sobre alergia do usuário.

Satisfeito com o empenho dos alunos o coordenador exclamou: “Eles tiveram um excelente envolvimento, desenvolveram todo projeto através de orientação. Como eles não conheciam o método, foi natural que seguissem as diretrizes e construíssem o conhecimento na medida em que o projeto era realizado”.

A aluna Camila Miguel que participou da atividade explicou que, inicialmente, achou a proposta muito ousada: “Tudo que é novo assusta, ainda mais por estarmos no primeiro período, foi um grande desafio tanto para os alunos, quanto para os professores. A Metodologia Ativa adotada pela FEPI não só no Projeto Integrador como em todas as demais disciplinas, faz com que o Professor aja como um mentor e o aluno é corresponsável por seu desenvolvimento. Tenho certeza ninguém saiu dessa experiência da mesma forma que entrou. Muito ansiosa para o próximo período!”.

Proporcionar aos alunos a oportunidade de construir soluções reais e economicamente viáveis para a comunidade onde estão inseridos é algo imprescindível, que os motiva e desafia. O coordenador destacou o crescimento deles: “O que mais me chamou a atenção foi o amadurecimento dos alunos no processo. Pude ver que no dia da apresentação que mantiveram uma postura profissional durante toda exposição do projeto, isso realmente me surpreendeu e fechou com chave de ouro todo o trabalho que eles desenvolveram neste semestre.

A medida que o projeto foi crescendo, os alunos puderam ver ainda, as possibilidades comerciais do projeto e mostraram-se empolgados em transformá-lo um produto que possa ser vendido.
Tour virtual